Tabuleiros, Sá & Guarabyra

por Maris Stella Schiavo Novaes**

Os cantores e compositores Sá e Guarabyra embora não fossem uma dupla sertaneja, fizeram muito sucesso cantando juntos. Suas composições e melodias retratam um Brasil de interior. Um Brasil sertanejo. Algumas canções são especiais e nos falam mais próximo da temática que escolhemos trabalhar.

Guarabyra é baiano de Barra e foi criado às margens do Rio São Francisco, em Bom Jesus da Lapa. E próximo às margens do rio, as regiões planas são conhecidas por tabuleiros. Permeando as margens existem muitas pequenas cidades onde o fluxo de subida e descida das águas do rio São Francisco são a razão de uma mesa mais farta. Durante o período das águas – chuvas – o rio invade a terra e cria poças entre as pedras onde os peixes se alojam. Quando as águas descem, ali sobram alguns peixes que se reproduzem e assim tem a sequência que os ribeirinhos chamam de pleito do rio.

Talvez, guiado pela saudade e trazendo vivo em sua alma as imagens e vivências dos tabuleiros, Guarabyra escreveu essa linda canção. Ainda que não tenhamos ido aos tabuleiros do compositor, por certo, em algum lugar de nossas memórias, existem paisagens idênticas a merecerem o reconhecimento da História e a poesia dos corações.



** Maris Stella Schiavo Novaes é Presidente da Ong Carreiro de Tropa – Catrop, Coordenadora do Núcleo de História, Cultura e Memória da Catrop; Membro da Rede de Estudos da – Recom/Uesb Complexidade, Colunista do site: http://www.acontecebahia.com.br/; Secretaria da Mulher do Partido Socialista Brasileiro – PSBLicenciada em História pela Uesb de Vitória da Conquista Bahia; Com pós-graduação em Educação, Cultura e Memória, pelo Museu Pedagógico/Uesb. 


Tabuleiros


No sertão
As cidades esperam
O dia em que o asfalto chegar
No sertão
As cidades esperam
O dia em que o asfalto chegar
Lá se vão os amigos
Lá se vão os tropeiros
Lá se vão automóveis
Tudo no mesmo areião
Lá se vão os amigos
Lá se vão os tropeiros
Lá se vão automóveis
Tudo no mesmo areião
Tabuleiros!
Fica o sol no caminho do campo
Brilhando na mata rasteira
Fica a ponte do tempo
Entrando no mundo pra lá da poeira
Da poeira
Da poeira
Pra lá da poeira
Lá se vão os amigos
Os tropeiros
Automóveis
Tudo no mesmo areião
Lá se vão os amigos
Lá se vão os tropeiros
Lá se vão automóveis
Tudo no mesmo areião
Tabuleiros
Fica o sol no caminho do campo
Brilhando na mata rasteira
Fica a ponte do tempo
Entrando no mundo pra lá da poeira
Da poeira
Da poeira
No mundo pra lá da poeira
Lá se vão os amigos (os amigos)
Os tropeiros (os tropeiros)
Automóveis
Tudo no mesmo areião
Lá se vão os amigos
Lá se vão os tropeiros
Lá se vão automóveis
Tudo no mesmo areião
Tabuleiros
No sertão as cidades esperam
O dia em que o asfalto chegar
No sertão as cidades esperam
O dia em que o asfalto chegar



Luis Carlos Pereira- o é carioca de Vila Isabel. Dá terra do Noel, só podia vir mais música!…

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s