Antônio Gonçalves da Silva PATATIVA do ASSARÉ

Quanto verso perdido no meio da caatinga esturricada

Nascido daquela alma nordestina simples e feliz…
Em nenhum florilégio jamais poderá ficar registrada
Naquelas caminhadas que fez a Patativa maior desse país!
Antonio Gonçalves da Silva achava melhor cuidar da cabritada
Era a vida que escolheu do jeito e modo que ele sempre quiz
Não fazia sentido pisar na passarela acadêmica tão alcatifada
Porque a glória efêmera do poeta acaba um dia como a flôr de liz!
O importante é o êxtase o momento sublime da própria criação
Pisando livremente a areia dos atalhos retorcidos do sertão
Exaltando ali o Maior Arquiteto do Universo tão cheio de fé!
Morreu cansado e velho no sítio pobre do mais lindo recanto
Ah! se a gente tivesse a certeza que o poeta um dia vira santo
Eu passava a cultuar o venerável vate que chamaram
Patativa de Assaré !
Do Livro em preparo:Poesia, Memória e Saudade
Meu querido e talentoso pai! Meu orgulho!

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s