Versos diversos


Arrudiei o pensamento
Ja deu vontade de tornar
E rever minha catrupia
Que um dia pos escutar
Os toque da minha viola
Os versos da minha cachola
Que aqui fiz o povo escutar


Meu linguajar matutado
Revela a identidade
Sou bicho do mato
Mas gozo felicidade
E disparo nesse mundo
Meu verso de vagabundo
Com força luta e vontade

Nas terras Elomarianas
Um certo dia passei
E prum punhado de gente
Minha viola entoei
Foi lá no meio da praça
Onde com jeito e sem graça
Pra esta gente cantei


Depois não fui mais chamado
Tratei de pegar estrada
Botei a viola nas costas
Em busca doutra empreitada
E assim voltei pro Nordeste
Pro meio dos cabras da peste
Pra minha santa morada


Mas deixei um pensamento
Que é meu ponto de vista
Pois só assim um sujeito
Com jeito bem progressista
Foi conhecendo Vitória
Que vi o dom da Conquista

Deixo meu dedo de prosa
E quem quiser escutar
Os versos do cantador
Basta logo me chamar
O cachê está barato
Passagem durmida e um bom prato
E uns trocados pra eu Feirar
**esta delícia de versos foi deixada em nosso rancho virtual, no dia 17 de outubro de 2012 18:15, por um poeta passante. Ficou anônimo, mas, buscando um pouquinho, encontrei este link, espero que lhe faça justiça e volte sempre, meu caro poeta: http://itamira.blogspot.com.br/
Anúncios

3 comentários sobre “Versos diversos

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s