Cultura oral é desprezada pelo ensino formal


A Profª Drª Heleusa Câmara entrega o título de
 “Intelectual da tradição”
 a José Batista, Rocha, o tropeiro Zé Mosquito

A cultura .popular é um campo fértil e generoso de riqueza e diversidade. No mundo contemporâneo, já existe consenso quanto a esta legitimidade. No entanto, as escolas não contemplam em seus currículos o ensinamento da transmissão oral de tradições. Esta lacuna gera um autodesconhecimento de seu próprio lugar histórico e dificulta na comunidade escolar a identificação do local onde vive. A Catrop trabalha no intento de buscar esse reconhecimento na preservação das tradições orais de fundo tropeiro, tendo nesses saberes a principal matriz de seus objetivos.

Esta é uma tendência da formação contemporânea, conforme, se pode perceber na entrevista promovida pela Radioagência Nacional. 
Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s