Sonho de olhos abertos

por Maris Stella Schiavo Novaes **

“Era uma vez, um pequeno grupo de pessoas que sonhou transformar o trabalho acadêmico numa estética do pensar com prazer, partilha e paixão. 


Era uma vez, um pequeno grupo de sonhadores que escolheu como estilo de vida apostar na produção do conhecimento capaz de transformar sementes de morte em sementes de vida; que preferiu olhar para o mundo com lentes polifônicas, como condição de entender os fenômenos do mundo em sua complexidade; que decidiu politizar a ciência através do compromisso diário de suas práticas de vida; que acreditou na “boa utopia” de um mundo onde homens, mulheres e crianças possam, com maior frequência, “rir, sorrir e gargalhar”.


Era uma vez, um grupo de sonhadores que imaginou uma ciência mais humilde, mais humana, mais comprometida com o destino do planeta.”  Palavras da Profª Ceiça Almeida  sobre os ideias de formação do Grupo de Estudos da Complexidade/ UFRN, que muito identifica nosso caminho de produção e trabalho. Tanto por isso, desde 2009, realizamos ações no sentido de efetivar a aproximação entre a Catrop e o GRECOM, desta ponte surgiu o título de Intelectual da Tradição, entregue a um tropeiro em cerimônia oficial realizada na Câmara de Vereadores de Vitória da Conquista, no 26 de outubro, Dia Nacional do Tropeiro
** por Maris Stella Schiavo Novaes- ONG Carreiro de Tropa- Catrop, Licenciada em História/Uesb, Especialização em Educação, Cultura e Memória/Museu Pedagógico – Uesb, Coordenadora do Núcleo de História, Cultura e Memória da Catrop
Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s